Responsabilidade na gestão, para garantir que os bombeiros de Vagos sejam “alicerce fundamental para o presente e futuro da associação.” Falando no decorrer da cerimónia da tomada de posse, dos novos órgãos sociais, Nuno Moura considerou fundamental garantir condições de instalação, de bom funcionamento e operacionalidade das instalações do quartel, para que os bombeiros aí possam permanecer e pernoitar, com as “condições mínimas exigíveis.”
Apostando na formação de novos quadros, o novo presidente revelou, a propósito, que quer promover o voluntariado. Para tal, garantiu ser intenção da direção aprovar, em breve, um regulamento de atribuição de benefícios sociais, incentivos e regalias, aos elementos do corpo de bombeiros. “Queremos um corpo de bombeiros motivado e comprometido, com os valores que defendemos”, disse Nuno Moura, sublinhando que vai dotar o corpo de bombeiros dos equipamentos “mais modernos e mais eficazes”.
O novo dirigente abordou, ainda, o “caso” do atual comandante, Miguel Sá, que já mostrou indisponibilidade para continuar no cargo. Uma situação que, acredita Nuno Moura, pode “atrair” a atenção de novos quadros, para criar uma “equipa multidisciplinar, equilibrada do ponto de vista etário e também do género”, servida por pessoas de diferentes sensibilidades.

Ler mais na edição impressa ou digital